Hospital de Clínicas da UFTM é autorizado a captar e transplantar tecidos musculoesqueléticos


Hospital em Uberaba passa também a transplantar ossos, tendões e ligamentos captados a partir de doadores cadáveres. Procedimentos vão beneficiar pacientes de mais de 25 cidades da região. Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Triângulo Mineiro é autorizado a fazer captação e transplantes ósseos
João Pedro Vicente/HC-UFTM
O Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (HC-UFTM), em Uberaba, divulgou que foi autorizado a captar e transplantar tecidos musculoesqueléticos. A portaria com a autorização do Ministério da Saúde foi publicada no Diário Oficial da União.
Conforme divulgado nesta segunda-feira (17), agora, além de transplantes de rins, córneas, medula óssea e valva cardíaca, o HC-UFTM passa também a transplantar ossos, tendões e ligamentos captados a partir de doadores cadáveres.
Os procedimentos vão beneficiar principalmente pacientes de Uberaba e da região Triângulo Sul de Minas Gerais, composta por 27 municípios, para a qual o Hospital de Clínicas é referência em alta e média complexidade.
Ainda de acordo com o HC-UFTM, dois pacientes estão aptos a receber os tecidos e serão transplantados a partir de material processado pelo Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into), localizado no Rio de Janeiro. A primeira cirurgia será feita em março.
Segundo o coordenador da Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes do HC-UFTM, Ilídio Antunes de Oliveira Júnior, a prioridade é atender a demanda da região, havendo ainda a possibilidade de receber pacientes de todo o estado e os cadastrados no sistema nacional.
“Essa é uma grande conquista para a saúde local e pode impactar positivamente a vida de pessoas que sofreram perdas ósseas decorrentes de tumores, precisam trocar próteses ou possuem deformidades congênitas e de coluna”
Triagem e acompanhamento
De acordo com o responsável técnico pelos transplantes ósseos do HC-UFTM, Adriano Jander Ferreira, a triagem do público será feita a partir dos atendimentos ambulatoriais da instituição. Já os encaminhamentos vindos de outros estados serão coordenados pela Central Nacional de Regulação de Alta Complexidade.
“Projetamos que a maior demanda será nas áreas de quadril, joelho e tumores ósseos. A expectativa é de aconteçam até dois transplantes ao mês. Essa quantidade é em virtude de que não podemos realizar um procedimento sem prestar contas do anterior, e esse processo leva em média 15 dias”, adianta Ferreira.
Após as cirurgias, haverá acompanhamento pós-transplantes nos ambulatórios do HC-UFTM, no caso dos pacientes de Uberaba e região. Já os pacientes de outros estados, após as altas, serão referenciados para serviços de saúde dos locais de origem, com as orientações de cuidados pós-operatórios.
Hospital de Clínicas em Uberaba passa a fazer outros transplantes, além de rins, córneas, medula óssea e valva cardíaca
Edmundo Gomide/UFTM
Fonte: SAUDE

Aqui você pode expressar sua opinião livremente.