México anuncia redução de 74,5% do fluxo migratório irregular para os EUA


No ano passado, Trump ameaçou o México com tarifas que incidiriam em exportações do país se o número de imigrantes não diminuísse. Hondurenhos em uma caravana de imigrantes com destino aos EUA passam pelo México, em 23 de janeiro de 2020
Alfredo Estrella / AFP
O chanceler do México, Marcelo Ebrard, anunciou na quarta-feira (12) que o fluxo migratório de pessoas sem documentação regular que cruzam a fronteira para os Estados Unidos diminuiu 74,5% em oito meses desde que o México apresentou seu plano de migração e desenvolvimento.
O chanceler afirmou que o fluxo irregular de migrantes está sendo reduzido e que as pessoas que estão no território nacional “estão seguras”.
Entre janeiro e maio de 2019, a migração sem documentação regular na fronteira sul dos EUA havia disparado quase 150%, o que gerou uma reação furiosa do presidente Donald Trump –na época, ele ameaçou impor tarifas altas ao México se esses fluxos não fossem interrompidos.
Em junho de 2019, então, o México se comprometeu com os EUA a tomar “medidas sem precedentes” para conter a migração. Esse acordo foi a tábua de salvação para impedir a tarifação de suas exportações – 80% das quais vão para os Estados Unidos.
Desde então, o governo López Obrador enviou para as fronteiras norte e sul cerca de 26 mil militares, além de agentes de imigração. “Nosso objetivo é que as pessoas que estão em território nacional concordem com as formas da lei mexicana”, disse Ebrard.
Fonte: MUNDO

Aqui você pode expressar sua opinião livremente.