Sete acusados de terrorismo de extrema esquerda são presos na Rússia


Apresentados pela acusação como terroristas antifascistas e anarquistas, os réus terão de cumprir penas de seis a 18 anos de prisão. Sede da FSB, serviço de inteligência russo, no centro de Moscou
Mladen Antonov / AFP
Um tribunal da Rússia condenou sete homens, nesta segunda-feira (10), a duras penas de prisão por sua participação, segundo os serviços secretos (FSB, ex-KGB) – em uma rede “terrorista” de extrema esquerda.
O caso é questionado por ONGs e pela oposição.
Apresentados pela acusação como terroristas “antifascistas” e “anarquistas”, os réus terão de cumprir penas de seis a 18 anos de prisão, conforme o veredicto do tribunal militar de Penza (centro), relatou um dos advogados da defesa, Serguei Morgunov, ouvido pela AFP.
Todos nascidos entre 1988 e 1996, estes jovens foram detidos em 2017 por suspeita de pertencimento a uma organização terrorista.
Alguns também foram acusados de posse de armas e de munições e de tentativa de tráfico de drogas.
As penas mais duras de 18 e 16 anos foram para os dois “líderes” do grupo. Segundo uma ONG de defesa dos direitos humanos e a oposição russa, o caso foi totalmente montado para fazer crer que existe uma ameaça contra o poder.
“Esse veredicto é para mostrar à população que há uma ameaça de terrorismo político real e é uma ordem à juventude: ‘sentem, não se movam!'”, denunciou Svetlana Ganushkina, uma das figuras históricas da Memorial, organização de defesa dos direitos humanos de referência na Rússia.
Nenhum dos acusados tinha antecedentes criminais.
Fonte: MUNDO

Aqui você pode expressar sua opinião livremente.