Brasil tem 15 casos suspeitos de coronavírus, diz ministério


País não tem casos confirmados. Dado foi divulgado por meio de plataforma do Ministério da Saúde. Ilustração feita pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), dos EUA, mostra a morfologia do novo coronavírus, conhecido cientificamente como 2019-nCoV
Alissa Eckert, MS; Dan Higgins, MAM/CDC/Handout via Reuters
O Brasil tem 15 casos suspeitos de coronavírus, de acordo com o Ministério da Saúde. Desde sábado (1º), a soma de novos registros e a subtração de casos descartados contabilizaram um caso a menos no país. Nenhuma infecção foi confirmada no país.
O que aconteceu desde domingo (1º):
Um caso suspeito no Ceará foi descartado
Rio de Janeiro voltou a registrar um caso suspeito
São Paulo descartou um caso e voltou a ter 7 suspeitas
Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul continuam com a mesma quantidade de pacientes em investigação: 1, 2 e 4, respectivamente.
Emergência de saúde pública
Na quinta-feira (30), a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou que os casos do coronavírus 2019 n-CoV são uma emergência de saúde pública de interesse internacional. Com isso, uma ação coordenada de combate à doença deverá ser traçada entre diferentes autoridades e governos.
“Devemos lembrar que são pessoas, não números. Mais importante do que a declaração de uma emergência de saúde pública são as recomendações do comitê para impedir a propagação do vírus”, disse o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus.
Infecções mais rápidas
Os casos do 2019-nCoV estão se espalhando mais rápido, mas matam menos do que a Síndrome Respiratória Aguda Grave, SARs-CoV, que causou um surto na China entre 2002 e 2003, e do que o H1N1, vírus que levou a uma pandemia em 2009 e que continua fazendo vítimas.
A Sars levou à morte 916 pessoas e contaminou 8.422 durante toda a epidemia (2002 a 2003). A taxa de letalidade é de 10,87%. Isso representa quase 11 mortes a cada 100 doentes. Os dados são da Organização Mundial de Saúde (OMS).
As duas infecções são causadas por vírus da família “coronavírus”, e recebem este nome porque têm formato de coroa.
Se comparados a outro vírus que causa doença respiratória, como o H1N1, o número de pessoas que morrem é maior do que o registrado pelo coronavírus. Em 2019, somente no Brasil, 796 pessoas morreram com H1N1 e 3.430 foram infectados. Ou seja, a gripe matou 23,2% dos pacientes internados no Brasil com sintomas, ou 23 a cada 100 doentes.
Fonte: SAUDE

Aqui você pode expressar sua opinião livremente.