Forças armadas da Rússia vão retirar cidadãos da China, dizem agências


País já tem dois casos confirmados da doença. Segundo a agência estatal RIA, os planos incluem o uso de cinco aviões para a retirada dos russos das áreas de maior perigo. Coronavírus
Getty Images
Com dois casos confirmados, a Rússia anunciou neste sábado (1) a retirada de cidadãos russos da China por causa do surto de coronavírus, segundo as agências TASS e Interfax. O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, afirmou que a retirada vai ser feita pelas forças armadas nas regiões mais afetadas.
De acordo com Peskov, a retirada começaria neste sábado, mas depois se corrigiu e afirmou que o início será na segunda-feira (3).
O que se sabe sobre o coronavírus até agora
Na sexta-feira (31), a vice-premiê, Tatiana Golikova, disse que a Rússia planejava retirar 600 de seus cidadãos das províncias de Wuhan e Hubei, epicentro do surto de coronavírus na China, e que eles ficarão sob quarentena por 14 dias.
Segundo a agência estatal RIA, o ministério da Defesa da Rússia planeja usar cinco aviões para retirar as pessoas da China.
Dois casos confirmados
Na última sexta-feira, a Rússia confirmou dois casos do coronavírus no país. As duas pessoas são cidadãos chineses que estavam no país. Autoridades de saúde do país disseram que os pacientes estão isolados.
Na quinta-feira (30) o Kremlin decidiu fechar os 4.250 km de fronteira com a China em uma tentativa de evitar a propagação do coronavírus. A Mongólia foi o primeiro país a fechar as fronteiras terrestres com a China para conter a transmissão da doença. O tráfego aéreo e ferroviário com o território chinês permaneceu liberado.
Casos confirmados de infecção por coronavírus pelo mundo.
Arte/G1
Initial plugin text
Fonte: SAUDE

Aqui você pode expressar sua opinião livremente.